Como escutar nosso coração quando todo mundo tem algo a dizer?

Às vezes é preciso ignorar o barulho para entender o que diz nossa intuição

A todo momento temos de lidar com decisões que podem transformar nossa vidas: quando é a hora de iniciar (ou terminar) um relacionamento, mudar de cidade, buscar um novo emprego ou carreira. Seja qual for a questão, frequentemente nossas escolhas aparecem acompanhadas por opiniões e recomendações de pessoas que gostam e se preocupam com a gente. O problema é que, apesar de toda boa intenção por trás destes conselhos, muitas vezes é quase impossível escutar nosso próprio coração. E nessa situação, como é que fazemos para ir além do barulho e entender como realmente nos sentimos sobre as decisões que precisamos tomar?

Conhece a ti mesma

Muitas de nós acabam caindo na armadilha de fazer escolhas a partir de algo que nos foi dito. Sabe quando você decide seguir uma carreira porque alguém disse que você era boa naquilo, mas lá no fundo não é bem o que você queria? Ou quando se deixa levar pela ideia de que não vale a pena investir em um sonho? Quando isso acontece, corremos o risco de nos decepcionar, uma vez que focamos em tentar melhorar nossas fraquezas em vez de nos concentrarmos em nossos pontos fortes. Que tal um exercício de autoconhecimento? Pergunte a si mesma quais são suas paixões e habilidades, e como elas podem ajudar você a realizar seus sonhos. Muitas das respostas que buscamos estão dentro de nós mesmas, e quando nos permitimos escutá-las com atenção, elas se sobressaem ao barulho externo.

Cada uma tem sua jornada

Sabe aquela sua amiga, tia, vizinha que é ótima conselheira? Por mais incrível que ela seja, é preciso lembrar que o que ela diz se baseia no que ela faria no nosso lugar. E é aí que está o problema: cada uma tem sua jornada, e elas vão pensar nas experiências delas - e não nas nossas - para tentar ajudar. Mesmo com boas intenções, na prática somente nós mesmas conhecemos nossa história, como nos sentimos, o que realmente queremos. Isso não quer dizer que você precisa brigar ou discordar de quem oferece um conselho, especialmente quando não foi solicitado. Nessa situação, vale aproveitar para listar seus próprios medos e anseios e, desta forma, reconhecer o que te preocupa de verdade. Entender nossos próprios sentimentos é uma forma de reduzir o ruído e escutar o coração.

É impossível agradar a todos

Essa lição todas nós aprendemos em algum momento da vida: não importa qual seja a sua decisão, alguém sempre sairá contrariado. O problema é que se nos preocupamos com a opinião dos outros, dificilmente conseguiremos escutar o que nós mesmas pensamos a respeito da forma como queremos criar nossos filhos, nosso trabalho, educação, quem são nossos amigos e todo o resto. Dependendo do tipo de decisão em questão, pode surgir também o medo de magoar alguém. Quando isso acontecer, será que não vale a pena refletir sobre a real chance de isso acontecer? Muitas vezes nós nos cobramos de forma exagerada, e sentimos um peso enorme. Tenha uma conversa franca com as pessoas que realmente serão afetadas por sua decisão. Mesmo sabendo que é impossível agradar a todos, no final você se sentirá mais leve e relaxada para escutar seu coração.

Siga seu coração

O mundo é cheio de histórias de pessoas que foram aconselhadas a fazer algo, mas decidiram seguir seus corações mesmo assim. Algumas foram felizes em suas escolhas, outras aprenderam lições importantes e continuaram tentando. O ponto aqui é que devemos fazer o que é certo para nós mesmas, e não o que os outros querem que façamos. Contanto que sejamos honestas com nossos valores, sentimentos e motivações, estaremos no caminho certo. Viva suas experiências, erre, acerte, aprenda. Nossa intuição pode se comunicar de diferentes formas, seja por meio de sonhos, uma sensação de leveza ou aquela certeza de que vai dar tudo certo. Escute com atenção e siga o seu coração.

Leia Também

Venha apoiar uma às outras:

Junte-se às mulheres que fazem acontecer

Produtos com o ativo