10 motivos para aprender mais sobre a história da sua família

Saiba como isso pode te ajudar a entender melhor quem você é

Unida, afastada, apaixonada, feliz ou fora do padrão. Cada família é de um jeito, mas não tem como negar que independentemente de como nos relacionamos, ela é a essência de quem somos. Nossas raízes já existiam muito antes de nascermos, e muito provavelmente vão permanecer depois que morrermos. E é exatamente isso que nos torna únicas. Afinal, não é só a genética, mas a contribuição de cada avó, avô, tio, tia, primos, além dos nossos pais, que fizeram de cada uma de nós essas pessoas às vezes extravagantes, às vezes encucadas, mas completamente incríveis que somos hoje.

Apesar de todas aquelas lembranças embaraçosas que alguém sempre desenterra ou todos aqueles dramas que já fizeram com que a gente considerasse fugir de casa e adotar uma nova identidade, lá no fundo a família vem em primeiro lugar - e ai de quem se meter com ela. Afinal, eles são as primeiras pessoas com quem tivemos contato na vida, e tudo o que aprendemos, bom ou ruim, fácil ou difícil, foi primeiro com eles. E tudo isso ajuda a nos entendermos melhor e a cultivar nossa inteligência intuitiva. Confira abaixo 10 motivos para pegar o telefone agora e ligar para sua avó, mãe, tia e descobrir algumas histórias da sua família:

1. Forma a nossa identidade

As histórias da família impactam diretamente na forma como nos vemos, porque nos dão uma ideia de onde viemos e como nos encaixamos no mundo. É meio que uma enorme colcha de retalhos, com muitas cores, padrões e desenhos, mas que no nosso caso são tradições, cultura e lembranças passados a cada geração. Isso nos dá uma sensação de pertencimento e contribui com a formação da nossa identidade.

2. Memória emocional

Nossa memória emocional é uma teia de experiências passadas que influenciam nosso comportamento e decisões. Na maior parte do tempo, essa memória se expressa de maneira inconsciente, na forma de impressões, opiniões, atitudes e principalmente na nossa intuição. Peça ajuda a seus familiares para ligar os pontos do passado, presente e futuro e, assim, cultivar uma memória emocional mais rica.

3. Fortalece a empatia

Ao aprendermos a história dos nossos antepassados, ganhamos um enorme entendimento dos desafios que eles enfrentaram, o que desperta em nós amor e compaixão por seus defeitos e erros. Essa compreensão pode ser usada na nossa relação com a nossa família, especialmente nos momentos difíceis, mas também pode se estender a amigos e colegas de trabalho. Taí um bom motivo para marcar um almoço e reunir aqueles tios que você não encontra há tempos.

4. Amor incondicional

Quando o assunto é família, lá no fundo a gente sabe que sempre vamos amá-la. Mesmo quando há desentendimentos, se tentamos entender o que está por trás destas histórias, conseguimos superá-las. Afinal, toda família tem sua cota de dramas, mas o amor sempre fala mais alto. Será que não conseguimos trazer um pouco mais desse amor incondicional para nós mesmas?

5. Inteligência intuitiva

Que tal aproveitar a oportunidade de aprender sobre a história da sua família para exercitar sua inteligência intuitiva? A ideia é, a partir de lembranças de fatos que aconteceram lá atrás, você se colocar no lugar deles, observar os desafios que eles vivenciaram e tentar entender por que eles reagiram desse jeito, e como você reagiria se estivesse no lugar deles. Isso cria uma bagagem para tentar entender melhor os outros e nós mesmas.

6. Conexão com o passado

Quando resgatamos a história dos nossos antepassados, desenvolvemos uma forte ligação com eles, especialmente quando conseguimos encontrar fotos antigas, diários, cartas, documentos. Deixamos de pensar neles apenas como nomes soltos ou fotos desbotadas para dar a eles personalidades, lembranças, decisões. Eles passam a ter uma vida, às vezes muito parecida com a nossa. Que tal fazer uma caça ao tesouro nos baús da família?

7. Pontos fortes

Na próxima vez que a família se reunir, pergunte sobre os pontos fortes de seus antepassados e reflita sobre quais deles você tem ou gostaria de desenvolver. Por exemplo aquela bisavó que podia até ser brava, mas tinha um coração enorme, e sempre seguia sua intuição. Olhar para as características de nossos parentes nos ajuda a reconhecer essas qualidades em nós mesmas.

8. Resiliência

Descobrir como nossos antepassados superaram tempos difíceis, perdas e decepções, nos ensinam muito sobre resiliência. Suas histórias são a prova de que nada na vida é fácil, que a tristeza faz parte do crescimento, mas que independentemente disso somos capazes de nos recuperar, seguir em frente e encontrar a felicidade. Que tal se inspirar nessas lembranças para fortalecer seu senso de perseverança e resiliência?

9. Amizade

Nossos familiares são nossos primeiros amigos e isso costuma definir como vamos nos relacionar com o mundo. Eles nos ensinam sobre confiança, responsabilidade, mas também a nos defender quando alguém ultrapassa os limites. São os exemplos de quem veio antes de nós, mas também de quem está ao nosso lado, que nos mostra a importância de perdoar os outros e a nós mesmas. Que tal ligar para seus primeiros amigos?

10. O que realmente importa

No final das contas, talvez a lição mais importante que nossa família e sua história nos ensina é sobre o que realmente importa na vida. Nossos parentes são as únicas pessoas do mundo que dividem com a gente histórias, lembranças e, claro, o DNA. Por mais diferentes que sejamos uns dos outros, conforme amadurecemos percebemos a importância dessa ligação. Que tal fazer uma lista de todas as outras coisas que são realmente importantes para você?

Leia Também

Venha apoiar uma às outras:

Junte-se às mulheres que fazem acontecer

Produtos com o ativo